quinta-feira, 28 de abril de 2011

Assumidamente

Assumidamente sou daquelas que julgam pela aparência. Não daquelas que acham que uma pessoa gira é burra ou que a beleza é inversamente proporcional ao grau de inteligência. Mas sou fútil. Sou daquelas que acham que uma pessoa desleixada jamais pode ser uma pessoa interessante. Sim, sou preconceituosa a este ponto. Acho que uma pessoa que não se interessa por si, como se pode interessar por outro assuntos? E por outras pessoas?
[Eu sei que estou a exagerar e que nem sempre é assim...]
No outro dia, uma colega de trabalho dizia-me "Tu estás sempre tão gira, às vezes gostava de ter o teu bom gosto!" E eu dou por mim sem perceber estas afirmações [afinal sempre sou burra]... se ela gosta da forma como me visto, porque escolhe ser sempre básica e igual às outras todas lá do escritório? Depois de lhe explicar isto (por outras palavras, que a minha colega é uma pessoa sensível) fomos às compras... eu a ser a sua personal stylist :)
Resultado: Veio de lá muito mais colorida e nada em tons terra nem preto / azul, que disso já ela tem o armário cheio. Ela que é uma miúda gira gira de doer andava tão subaproveitada!
No fim, perguntou-me qual era o meu segredo. Simples. Escolho sempre 2 ou 3 conjuntos diferentes no dia anterior, que depois escolho consoante a disposição e nunca, mas nunca, tenho medo de arriscar!

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Um bocadinho de mim...

Das indecisões...

Estou apaixonada por um vestido branco da Zara... com folhinhos lindo lindo! Mas tem um pormenor que me atormenta... o fecho tem uma facha preta enormeee atrás o que dá cabo do vestido... mas visto de frente é tão lindooo e tão fofinho que dá vontade de trazer para casa. Por via das dúvidas experimentei e apaixonei-me ainda mais. Mas ainda não foi desta que veio morar cá para casa!

terça-feira, 26 de abril de 2011

Coisas que me surpreendem...

Um amigo e uma amiga. Namoraram quando andávamos na escola secundária. Durante todo o secundário. Os 3 anos. Ela foi para a faculdade e ele preferiu ir trabalhar. A distância, as diferentes expectativas e os percursos diferentes de vida afastaram-nos. Continuámos todos amigos, mas sabíamos que não os poderíamos juntar na mesma festa... Quando um estava, o outro saía. Raras vezes permaneciam na mesma festa mas sempre longe um do outro e sem trocar uma palavra. Agora, passados 10 anos voltaram a namorar!! :D
É giro podermos estar todos juntos outra vez. Vê-los crescidos, pessoas diferentes, adultos maduros, já com outra maneira de encarar a vida a conhecerem-se outra vez! Estou feliz por eles :)

Hoje vai ser assim...

terça-feira, 19 de abril de 2011

Coisas que NUNCA me ouvirão dizer...

* Gaja (nunca gostei desta expressão);
* Não gosto de viajar;
* Tenho roupa a mais;
* Não quero mais coca-cola;
* Car***o ou outra asneiro do género;
* Não me apetece beber café;
* Casar ou morar junto, a única diferença é um papel assinado;
* Hoje comi muitos doces;
* Adoro ir ao ginásio;
* Hoje não me apetece comprar nada;
* Prefiro comer fruta do que um gelado;
* Estou demasiado magra.

É por estas e por outras que eu ainda acredito num mundo melhor...

Menina de 3 ou 4 anos para o pai:
- Pai, vamos ver lojas? Vá lá, vamos ver lojas!!

Os pais são os melhores amigos dos filhos?!

Conversa entre mãe e filha na Zara.
Mãe (apontando para uma saia comprida): Estas saias já se usaram há bué pah!

Se calhar em alguns casos posso ser antiquada... ou só diferente vá, mas nunca concordei com o facto de pais e filhos serem os melhores amigos. Adoro a minha mãe (e o meu pai também!), sei que ela estará sempre lá para mim e eu também estarei sempre disponível para a minha rica mãezinha, mas ela não é a minha melhor amiga e eu não sou, certamente, a melhor amiga dela! Vamos às compras, ao café, passeamos pela Baixa, vamos de férias em família, trocamos opiniões, mas nunca me ouvirão a falar de rapazes com a minha mãe... ou de sexo... ou da bebedeira que apanhei na outra noite [para todos os efeitos será sempre da coca cola gelada que não me caiu bem]!
Acho até deprimente quando vejo pais e filhos sairem juntos à noite como se tivessem todos a mesma idade [normalmente estes pais acham que são mais novos que os filhos!]. Acho que se perde o sentido pais/filhos, invertem-se os papeis, perde-se a autoridade (e muitas vezes o respeito!) e às tantas já ninguém sabe quem é quem. Pais e filhos a apanharem bebedeiras juntos, a partilharem amigos, a dizerem asneiras na mesma mesa e a mandarem piropos às mesmas miúdas... acho doentio! Ao contrário do que pensam, estes nunca serão bons pais...

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Sou. Não sou. Sou. Não sou.

Sou vaidosa. Não sou fútil.
Sou confiante. Não sou convencida.
Sou realista. Não sou pessimista.
Sou católica. Não sou radical.
Sou apaixonada. Não sou fácil.
Sou simpática. Não sou de amizades rápidas.
Sou responsável. Não sou preguiçosa.
Sou gulosa. Não sou adepta de exercício físico.
Sou tímida. Não sou um ser social.
Sou interessante e interessada.

Tenho um problema com fitas. E com orelhas...

Quando eu era pequenina usava fitas no cabelo... muitas fitas no cabelo. Tinha fitas de todas as cores. Eram daquelas de pano que faziam um alto na parte de trás da cabeça e deixava o cabelo levantado :) Tinha uma bolsinha cheia delas. Uma para cada roupa. Lembro-me especialmente de uma azul com uma galinha [com esta descrição pode não parecer mas era muitoooooo gira]. Depois cresci. Comecei a usar óculos. E tornou-se uma combinação fantástica... óculos redondos [usava-se na altura...fiuuu], fita na cabeça atrás das orelhas e franja! Por muito difícil que possa parecer, era a sensação lá da escola.
Hoje, passados 15 anos (suspiro), as fitas voltaram [quase que tenho pena de já não saber das minhas]. Continuo a usar óculos e, talvez por isso, acho que as fitas já não me favorecem muito. Mas tenho pena. Às vezes dou por mim a olhar para elas e com vontade de experimentar, mas só o faço nos provadores ou então quando não está MESMO ninguém na loja, para não correr o risco de passar vergonhas. Não gosto de ver orelhas à mostra e gosto ainda menos da sensação de ter demasiados coisas atrás das orelhas. Fitas e óculos são uma combinação estranha para mim.


Apetece-me desesperadamente...


Sou uma pessoa gulosa por natureza. Desde pequenina. Gelados, doces, coca-colas, gomas, chocolates, M&M (sim para mim os M&M estão incluídos numa categoria diferente dos chamados chocolates comuns), waffles, crepes, batatas fritas... tudo me apetece. Pareço as criancinhas que não podem ver ninguém a fazer nada que têm logo de ir a correr fazer igual.... Eu sou assim. Acho que a única coisa que nunca me cativou foram os bolos de pastelaria (os pasteis de nata, bolas de berlim, argentinos e outros tais). Ah e deixei de comer mentos quandos começaram a passar aqueles e-mails que diziam que a nossa barriga explodia se comessemos mentos com coca-cola... Como sou fiel à coca-cola pensei que algum dia me poderia esquecer do aviso e disse adeus aos mentos para sempre! Nunca vi o vídeo e não conheço ninguém que tenha ficado sem estômago por causa disso, mas mais vale não arriscar :)

Mas ultimamente há algo nesta categoria alimental que me persegue... as batatinhas fritas com sabor a presunto. Adoro e não consigo parar de comer... preciso de ajuda!!!!

Constatação do dia...

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Constatação do dia...

Nem a minha conta bancária aumentou, nem trouxe nada de novo para casa!

Coisas que vi e não gostei...

* Cai cai amarelo com alça de soutien preto;
* Calça branca com cuecas às riscas;
* Mães e filhas a comprar roupa na mesma loja (e não estou a falar da Tintoretto ou da Stephanel... eram mais Berskas e Pulls);
* Umas sandálias lindas de morrer a 265 euros;
* Miúdas mal educadas com ar de quem saiu do guetto;
* Uma rapariga gira gira com bronzeado de quem veio agora do Brasil;
* E alças de silicone... muitas alças de silicone... podem dar muito jeito mas são pirosas! Foi por isso que Deus inventou o cai cai.

Sou uma pessoa exigente e ponto final.

Sou uma pessoa exigente. Com a idade tornei-me mais. Nas relações. No trabalho. Nas amizades. Com as minhas colegas de casa. Comigo. Do alto dos meus 26 anos, sou uma pessoa que sabe o que quer, que luta pelos seus objectivos e não fica parada à espera que a vida aconteça. Acho que tem compensado bastante o grau de exigência acrescido. Claro que não foi consciente... fui-me fartando e deixei de permitir certas coisas que antigamente dava o desconto ou engolia os sapos.
Hoje em dia, tenho o namorado da minha vida, que é muito mais do que alguma vez consegui imaginar, tenho poucos mas bons amigos, um trabalho que gosto (ainda não é o ideal, mas hei-de lá chegar), colegas de casa que respeitam o meu espaço... muito amiguinhas mas cada uma no seu canto sff. E até foi fácil. E até tenho uma vida melhor. Com menos problemas e menos más disposições. Não tenho pessoas próximas que me desiludem porque sei com quem posso contar. Claro que para as outras pessoas esta divisão entre as-pessoas-da-minha-vida-que-nunca-me-desiludem e as-outras pode não ser assim tão óbvia, mas na minha cabeça é. Não ou antipática, não tenho a mania que sou superior, mas não dou confiança às pessoas. Não gosto de conhecer uma pessoa e ser logo de grandes amizades e ai que tens de ir lá a casa conhecer o meu cão que é tão lindo.

Querido Deus...

Faz com que a minha conta bancária hoje tenha mais uns zeros porque apetece-me desesperadamente ir às compras!!


"Se pensa que o dinheiro não compra felicidade, é porque não sabe onde comprar" (Gossip Girl)

Era uns destes sff...

Há algum tempo que quero comprar um chapéu destes... Tenho um deste modelo (mas de Inverno) lindo de morrer e, confesso, que além de ser super fashion me deu muito jeito nos dias fresquinhos... Agora que chegou o calor queria um para me abrigar do sol... Já vi muitos à venda mas nenhum que goste especialmente e nenhum deste modelo, que é o meu favorito!


quarta-feira, 13 de abril de 2011

Apetece-me desesperadamente...

As minhas motivações

Inspiro-me muito nela. Adoro a roupa e a postura. É linda. Está sempre elegante e acredito que a frase Qualquer trapinho lhe fica bem tenho sido inventada a pensar nela.





terça-feira, 12 de abril de 2011

Das indecisões...

Motivos pelos quais ele é O tal..

Amo-o com todas as minhas forças. Admiro-o como homem, como pessoa e como profissional. Gabo-lhe a paciência para cuidar de mim todos os dias. Sabe cuidar de si. É um homem do século XXI, que vive sozinho, sem emprega doméstica, pelo que sabe fazer tudo em casa (e às vezes melhor que eu!). Não se importa que eu seja fútil porque sabe que também sou inteligente (e modesta!). É meiguinho, atencioso, o meu melhor amigo. Sai com os amigos quando tem de sair e está comigo nos outros dias. Sempre. Nunca se farta de fazer planos comigo. Quando vamor correr juntos diz que eu sou melhor que a Rosa Mota mas em versão gira (é difícil de imaginar, eu sei). Conhece as minhas necessidades e os meus desejos melhor que ninguém. Ama-me na saúde e na doença. Na alegria e na tristeza. Quando era gordinha e agora que sou mas esbelta. Todos os dias da nossa vida...

segunda-feira, 4 de abril de 2011

A discrição é mesmo uma virtude?

Cresci com esta frase na cabeça, mas discrição foi coisa que nunca abundou lá em casa. Estou a falar de roupa obviamente, porque de virtudes espirituais e valores é coisa que temos muito lá em casa, graça a Deus... [e humildade também!]
Não gosto de roupa discreta. Acho aborrecido. Gosto de cor. Devo isso à minha mãe com quem aprendi a arriscar, a dar um toque de sofisticação sem ser necessariamente caro, a optar por ter menos peças mas melhores do que muitas e ser igual a toda a gente. A pior coisa que me pode acontecer é ir na rua e encontrar alguém com uma peça de roupa igual à minha... é coisa para me estragar o dia! Chamem-me parva, chamem-me fútil, mas não gosto. Gosto de ser e de me sentir diferente. Gosto de ser notada pelos outros. Gosto de chamar a atenção pela roupa que visto e pela atitude que mostro. Gosto de me sentir gira e de sentir que todos olham para mim. Gosto de andar de saltos altos. Não gosto de looks palhacinhos com a mania que são alternativos. Gosto de criatividade misturada com glamour!


Era uns destes sff...


Lollipops

Uma das minhas marcas favoritas de sempre no que toca a sapatos e malas!! Tenho algumas peças, a maioria são demasiado excêntricas para a generalidade da população feminina portuguesa, mas estes chinelos são giros e relativamente discretos! A-DO-RO!!

Coisas que eu não percebo...

Ou os chamados pézinhos de Cinderela...

Já não é a primeira vez que vejo situações destas e, confesso, que me faz bastante impressão... não que me cause comichão, mas não percebo a motivação para alguém sair de casa naquele estado... Sempre me disseram que se vê uma pessoa pelos seus sapatos. Não pelo preço que têm, mas pela aparência... porque algumas pessoas estão todas produzidas e mega giras, mas depois esquecem-se e vão com sapatos que nada têm a ver ou a precisar de ser engraxados ou completamente fora do look. Não é este o caso, porque os sapatos até são engraçados, mas de qualquer forma não fica bem e, além disso, deve ser desconfortável... então e aquilo não chinela quando a pessoa se tenta deslocar de um lado para o outro? Ou as pessoa ficam ali na passadeira e não se mexem mais o resto da noite?

Mas, afinal, qual é a motivação para alguém sair de casa com uns sapatos maiores que os pés?


Apetece-me desesperadamente...