terça-feira, 31 de janeiro de 2012

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Inspiração para o outfit de hoje...

Hoje estou +/- assim...

O vestido é igual


Só que o casaco é cinzento em vez de rosa ;)

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

***

Não se esqueçam de ir passando por aqui. Já com mais novidades e em breve teremos ainda mais coisinhas giras ;)

Coisas que eu não gosto...

T-shirts. Não é que não gosto, mas faz-me sempre lembrar a faculdade. Gosto de coisas mais crescidinhas :)


Entre a cidade e o campo

Desde os 18 anos que vivo entre a cidade e o campo. Quando vim para Lisboa, sentia um misto entre entusiasmo por viver numa cidade grande (parecia-me grande na altura) e desilusão pela frieza com que as pessoas se tratavam... ainda hoje me faz imensa confusão viver num apartamento, não saber quem são os meus vizinhos e ter muito cuidado para não incomodar quem mora ao lado... na minha terra, moro numa vivenda, não é muito grande, mas dá para vivermos todos, temos um jardim enorme onde o nosso cão pode correr e apesar de vivermos separados por muros, os meus vizinhos são nossos grandes amigos. Quando precisamos de alguma coisa é a eles que recorremos e vice-versa, seja um pacote de sal ou alguma emergência (dava-me tanto jeito ter a Celeste de vez em quando aqui ao lado).
Na minha terra, conheço todas as pessoas, falamos sempre que encontramos alguém na rua, seja um simples Bom dia ou apenas comentar como está o tempo. Na minha terra as pessoas ajudam-se, participam nas actividades, há muitas associações e todas fazem festas. Não são festas de aldeia com música pimba, são festas jovens, com bandas de garagem ou até com artistas conhecidos. Na minha terra os jovens gostam de lá viver e têm orgulho em perpetuar as tradições...
E é por isso que todos os fins de semana, sem excepção, lá eu vou direitinha a casa, como costumo dizer.
Sinto-me bem a viver em Lisboa, gosto da facilidade de ter qualquer coisa à mão, seja um cinema, um teatro ou uma loja de roupa gira, mas nada supera o que se vive na minha terra. Sempre gostei de viver lá e nunca meti a hipótese de viver noutro sítio... é por isso que faço sempre questão de dizer que a minha passagem por Lisboa é provisória, que vou voltar a casa, às minhas raízes. Até posso continuar a trabalhar na cidade grande, mas viver, crescer e ser feliz tem de ser na minha terra!

Inspiração para o outfit de hoje...

Hoje estou +/- assim... e até agora estou a adorar!


Hoje é dia de...


The Lying Game

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Escolher ou não escolher a Igreja...

Ultimamente muitas pessoas perguntam se já escolhemos a Igreja. Para mim, escolher a Igreja nunca foi uma questão. Nunca meti a hipótese de casar noutra que não a minha. Sempre que digo que quero casar naquela Igreja, as pessoas olham para mim e dizem "aquilo nem parece uma Igreja. Não preferes na outra?". Sorrio sempre e digo que não. Adoro a minha Igreja. É a Igreja onde cresci, onde passo as noites de sexta e as manhãs de sábado, onde vou à missa todas as semanas, onde arranjo as flores e onde conheço cada recanto. É a Igreja onde me sinto em casa, a Igreja da qual tenho a chave e vou lá muitas vezes para estar sozinha (sim, eu tenho chave da Igreja). Não me interessa se não é uma Igreja tradicional, amo cada pedra daquela Igreja. É uma Igreja moderna, sem grandes adereços, com o altar em pedra e com linhas direitas. É verdade que por fora nem parece uma Igreja, mas para mim não faz sentido casar noutro sítio... Em nenhuma outra Igreja me sentiria tão bem. Além disso nunca gostei de Igrejas trabalhadas, cheias de arabescos e talhas douradas, daquelas que até dá medo tocar em alguma coisa. Gosto de Igrejas simples, modernas e despretenciosas. Para mim são as mais bonitas. Não percebo pessoas que "escolhem" a Igreja onde vão casar... vê-se mesmo que não são pessoas habituadas a ir a uma Igreja específica, que não tem uma vida em Igreja, então para quê casar numa?! E o mais curioso é que normalmente são as pessoas que criticam a Igreja (Católica, neste caso) que ficam espantados com a minha opção, de casar numa Igreja que nem parece Igreja, como eles gostam de dizer. São essas pessoas que fazem questão de escolher uma Igreja banhada a ouro, se possível, cheia de quadros e com o tecto cheio de anjinhos.
Não, para mim nada disso faz sentido. A minha Igreja é o reflexo da minha imagem de Deus e é nela que me sinto em casa. Sempre.


quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Coisas que me acontecem...

Ia eu numa rua de Lisboa, quando passei por uma mercearia tradicional e disse Bom dia com um sorriso ao senhor que estava à porta.
Ele para mim: Olhe desculpe, a menina não é de Lisboa pois não?
Eu: Não, sou ribatejana. Porquê?
Senhor: Ah logo vi... é que as pessoas em Lisboa não sorriem para quem não conhecem.
Vim embora com um sorriso nos lábios e com o coração mais quentinho.

Coisas que eu não gosto...

Crocs. Acho horrível mesmo. Como é que alguém consegue andar em qualquer lado com aquilo nos pés... Além disso, em que ocasião em que aquilo se usa?! Medonho.


Gostoooo.

Na nossa casa até os ovos estrelados vão ter pinta ...



segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Coisas que me acontecem...

Era muito novinha quando aprendi a pintar e a bordar... fazia imensos quadros, toalhas de mesa e de banho... A minha casa estava cheia de coisas feitas por mim e os meus avós adoravam receber coisas feitas pela neta... pintar era algo que me dava prazer, acalmava nas horas tristes e alegrava-me a alma. Com a entrada na universidade, as tintas e as agulhas ficaram em casa. O tempo foi ficando cada vez menor e um dia deixei de comprar novas tintas. Hoje, passados 10 anos, uma amiga minha pediu-me para lhe fazer umas almofadas... Disse que já não me lembrava, que não sabia se iam ficar bem mas decidi arriscar... Voltei a fazer ponto cruz. No início desmanchei não-sei-quantas vezes porque achava que não estava perfeitinho, mas agora não páro de olhar para a minha obra de arte... acho que estão mesmo giras... Não sabia que já tinha tantas saudades disto :)


Era mulherzinha para casar assim...


ADORO e não me canso de olhar para ele...

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Coisas que ainda não sei se gosto...

Gosto muito da ideia mas acho que não seria capaz de adormecer :)


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Constatação do dia...

Sou exigente mas não sou esquisita. Pode parecer controverso mas sou daquelas pessoas para quem está sempre tudo bem, não sou de reclamar quando algo não está bem seja num restaurante, em casa de amigos ou no trabalho. Tento adaptar-me aos diferentes contextos em que estou inserida. Não gosto de acampar, por exemplo, mas se aceitei ir faço sempre o máximo para estar bem disposta, divertir-me e tornar aquele momento o melhor possível. Se vou jantar a casa de alguém e o jantar é favas, como um bocadinho para não parecer mal. Se tiver num restaurante e o empregado me sujar, não faço dramas. Para mim está sempre tudo bem. Mas sou exigente. Se for mal servida num restaurante não volto a meter lá os pés, se algum amigo me trair, no mais pequeno que seja, não vou em falinhas mansas e prefiro não ir a um sítio do que fazer sacrifícios.
Parece confuso mas não é. É simples. Sou assim. Exigente sem ser esquisita.

Coisas que adoroooooo

Detalhes. Por isso o meu casamento vai estar cheio deles... sem cair no exagero quero que cada detalhe seja pensado ao pormenor... cada coisa tem de se enquadrar e fazer sentido, nada pode ser deixado acaso... O casamento é o reflexo dos noivos e nós somos assim :)
Quero que as pessoas vejam o nosso casamento como modelo, quero que nos vejam em cada pormenor, quero que sintam que este é O nosso casamento e não poderia ser o de outra pessoa qualquer... quero que seja a nossa cara e que as pessoas que nos conhecem e amam se identifiquem automaticamente com ele...


terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Hoje é dia de...


Gossip Girl

Um bocadinho de mim...

Hoje o meu dia foi assim... descontraído, sem grande coisa para fazer... Uma passagem rápida pelo Saldanha, fim de tarde a passear sozinha, como eu gosto. Pois é, sou aquilo que considero uma pessoa solitária. Gosto de estar sozinha, de passear sozinha, de ir ao cinema sozinha. Também gosto de ir (bem) acompanhada mas se não tiver companhia vou sozinha, sem qualquer problema. Não sou daquelas pessoas que está sempre à espera da companhia de alguém para poder fazer alguma coisa... Gosto da minha companhia e considero isso positivo... dá para pensar, para fazer planos, para arranjar soluções...

Para um dia descontraído, escolhi uma roupa igualmente descontraída (acho que ando a vestir demasiado preto!)


Coisas que eu não gosto...

Malas da Gola.
Nunca gostei. Acho-as demasiado quadradas, demasiado desportivas, demasido berrantes, demasiado iguais... Não sei, mas nunca gostei.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Coisas que me acontecem...

Ontem conheci uma rapariga com quem simpatizei como há muito não acontecia. Uma pessoa com quem te identificas logo, com quem a conversa flui. Hoje encontrámo-nos outra vez, desta vez numa situação caricata. Vou fazer questão de manter o contacto com ela, vejo ali potencial para uma amizade, eu que sou tão esquisita nas amizades.

Hoje, pela primeira vez na minha vida, desisti de algo sem chegar ao fim. Levantei-me e vim embora*. Assim sem mais nem menos. Aguento muita coisa, menos falta de educação. Agora rio-me da situação e da cara do chefe a olhar para minha descontração a baixar o ecrã do portátil, arrumar as minhas coisas e, sem grandes justificações, vir embora.

Essa rapariga de quem falei acima, acompanhou-me nessa ousadia de abandonar a reunião. Nós, que nem sequer nos conhecíamos bem, começámos uma relação de companheirismo. Acho que começámos bem!


* Em situações normais jamais faria isto, mas acho que estavam a ser mal educados, a gozar com a  minha cara e com o meu trabalho. Abandonar uma reunião não é ético, mas também não o é ter a mania que é engatatão e só porque está a lidar com mulheres ter a mania que é autoritário. Desautorizar um colega também não me agrada, por isso tenho uma pontinha de orgulho na minha decisão. Já passaram 6 horas e o meu chefe ainda não me despediu, por isso calculo que possa ir trabalhar amanhã...

Coisas que me acontecem...

Hoje foi +/- assim...

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Novidades

Mais novidades aqui!! Não se esqueçam de ver todos os separadores e, acima de tudo, que tudo é negociável!! É por uma boa causa ;)

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Divulgem please...

Lembram-se desta minha amiga? Pois é... ela já foi para Moçambique! Deixou-me a responsabilidade de vender as coisas das quais se quer desfazer... entre elas estão livros, roupa, sapatos, malas e acessórios. Tudo em bom estado. Alguns quase novos. Os preços são simbólicos... é mesmo para ajudar a concretização de um sonho. Sou eu que vou tratar de tudo por isso o contacto é o meu. Passem pelo blog e vejam se algo vos interessa. Ainda estou a fotografar tudo! Se quiserem mais fotos de alguma peça é favor pedir ;)

Podem ver aqui.
Obrigada! Ela merece!!!

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Coisas que eu não percebo...

Malta crescida que vai para todo o lado de All Star. Já disse aqui uma vez que me desabituei a andar de ténis... só uso quando vou correr ou dar longas caminhadas a pé. De resto, não dispenso os meus saltos altos e, nos dias de maior cansaço, umas botas rasas fazem milagres. Coisa que não percebo é malta crescida andar de sapatilhas para todo o lado, inclusive ir trabalhar.
O meu trabalho é um sítio descontraído, onde me posso vestir como bem me apetecer. No entanto, há algumas coisas que era incapaz de vestir num dia de trabalho: mini-saias, calções, cai-cai, ténis e decotes profundos fazem parte dessa lista de coisas proibidas. Não por alguém me proibir (tenho colegas que levam) mas porque gosto de ser levada a sério! Mas há pessoas que parece que não querem crescer... gostam de continuar a vestir-se como se andassem na faculdade e não se nota (exteriormente) qualquer grau de maturidade.
Hoje estava a ver umas fotos do ano 2000 e percebi como mudei nestes 11/12 anos, graças a Deus. O que mais me impressionou foi ver pessoas que continuam exactamente iguais... o mesmo corte de cabelo, a mesma maneira de vestir... acho um bocadinho assustador.

Tudo isto para dizer que acho que a nossa maneira de vestir revela muito a nossa evolução e maturidade... como diria a minha mãe A nossa imagem é o nosso cartão de visita!


Constatação do dia...

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Um bocadinho de mim...

Inspiração para o outfit de amanhã...

Amanhã vou mais ou menos assim...

(é só o vestido, dispenso este colar)

(as collants não serão exactamente iguais mas são do género)

Aguardem pelas fotos ;)

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Os gostos discutem-se?!

Parece que a sapo elegeu as mais bem vestidas de 2011. Não sei quem foi o juri nem quais foram os critérios em que se baseou mas a maioria não concordo nada. Ser gira e andar na moda não é, a meu ver, factor imediato de selecção. Nalguns casos não me identifico de todo com o estilo, noutros acho que são pessoas normais que vestem como qualquer uma de nós e na maioria gosto de um ou outro look perdido mas nada de muito emocionante.
Ser a mais bem vestida de 2011 deveria ser sinal de glamour, sofisticação e elegância e não ser igual a todas as outras pessoas que andam na rua. A sério digam-me lá em que é que a Ana Lúcia Matos inova? ou a Joana Santos? ou a Sofia Ribeiro? ou a Pipoca? Mais do mesmo... pessoas comuns que se vestem como os comuns dos mortais...
Agora se me vierem falar da Ana Rita Clara, da Jessica Athaide ou da Maria João Bastos já acho mais adequado. Mas parece-me que se basearam apenas numa "especie" de pessoas famosas, digamos assim... restringiram-se a actrizes, cantoras e bloggers novas e giras... então e pessoas como a Judite de Sousa, por exemplo, para mim essa senhora sim é sinónimo de elegância. É apenas um exemplo de como acho que os critérios estão um bocadinho trocados.

Ainda estou a pensar na Sofia Ribeiro (para mim a pior escolha) que acho que nunca acertou num único outfit, nem mesmo no dia do casamento.

É tudo uma questão de gosto ou será falta dele?!

Confesso...

Que o facto de não ter comprado quase nada nos últimos dois meses me anda a deixar deprimida...

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Constatação do dia...

Alguém chegou ao meu blog à procura de "botins Fanny"... Tenho medo, muito medoooo

Coisas que ainda não sei se gosto...

Botins em renda. Há qualquer coisa que me fascina e qualquer coisa que me repele.


Gostoooo.

Coisas que gosto...

Já há algum tempo que uso unhas de gel. Para muitas mentes pensar em unhas de gel é pensar em unhas enormes, grossas e cheias de brilhantes. Para mim, pensar em unhas de gel é sinónimo de descanso e poupança.
No início fui um bocadinho a medo, confesso, não queria sair de lá com garras em vez de unhas. Pedi para fazer curtinhas e o mais fininho possível. Adorei e nunca mais consegui parar. Muitas pessoas me perguntam se as minhas unhas são naturais, não são enormes e não são grossas. Como tudo na nossa vidinha, se for feito por bons profissionais o resultado é mais satisfatório.
Adoro não ter que me preocupar se tenho um jantar e ainda tenho que ir fazer as unhas, ou se não posso lavar a loiça com água muito quente para o verniz não descascar ou ter de ficar meia hora à espera que seque. Adoro esta liberdade de fazer o que me apetece com as mãos e elas estarem sempre impecáveis!
É verdade que fica mais caro do que manicure tradicional, mas se fizermos bem as contas compensa... manicure tradicional tem de se fazer todas as semanas (e ao fim de 3 dias já não estão perfeitas!), gel basta de 3 em 3 semanas... para mim, que não gosto nada de ver unhas sem verniz ou verniz descascado, acho que compensa bastante cada cêntimo.

...

A propósito destes relógios da SWATCH lembrei-me que quando era miúda não vivia sem os meus relógios de plástico. Eram a sensação. Tinha um de cada cor. Hoje em dia, não gosto nada de relógios de plástico... acho graça no pulso de adolescentes mas de pessoas trabalhadoras acho sempre que dá um ar infantil e imaturo à coisa...

Tinha muitos relógios da swacth mas destaco três. No auge da minha adolescência era louca pelo meu relógio do Dia das Bruxas... veio com uma abóbora que acendia uma luzinha que eu colocava na mesa de cabeceira antes de adormecer... aquele relógio era tudo para mim e, sem ele, sentia-me nua. Tinha uma bracelete que brilhava no escuro e os ponteiros também, o que me permitia ver as horas em qualquer ocasião... era a sensação lá da escola.

Depois, mais tarde, foi substituído pelo relógio do Dia dos Namorados... comprei-o com o meu próprio dinheiro, mas gostava que as pessoas imaginassem que alguém m'o tinha oferecido... vinha dentro de uma caixinha em forma de coração!

Já na faculdade comprei o Touch... os ponteiros rodavam sempre que se tocava no ecrã... e cada hora representava um beijinho (tambem havia a versão dos coelhos nas suas posições acrobáticas, mas eu sempre fui mais inocente :p ).

Hoje em dia prefiro relógios mais adultos, mas guardo estes religiosamente dentro de uma caixinha... fazem parte das minhas recordações e têm muitas memórias associadas...

Swacth Happy Nightmare

Swacth Time for Love

Swacth Time for a Kiss

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Passagem de ano...

A minha passagem de ano foi tranquila. Em casa de amigos, jantarada e comida até amanhecer. Palhaçada. Muito champagne, brincadeiras e muita gargalhada. Este ano, a prima da dona da casa também foi. Ainda ninguém a conhecia, sabiamos apenas que se chamava J. Quando ela entrou só me dava vontade de rir. Ela e o seu marido são duas figuras conhecidas da nossa televisão. Mas são daquelas pessoas que nunca sabemos se estão a gozar ou a falar a sério. Teve graça no início. Sempre que olhava para eles dava-me uma vontade horrível de rir... eu e a minha amiga R. não nos conseguíamos controlar e nem sabíamos bem do que estavamos a rir. O meu namorado via-nos a rir e ria-se também... aliás começou tudo com a careta que o meu namorado fez quando os viu entrar pela sala adentro. O rapaz, o A., é daqueles super irritantes que acha que tem sempre imensa piada... depois das primeiras 100 piadas deixei de me rir!
Passada esta adaptação inicial foi uma noite bastante divertida!

Um bocadinho de mim...


Hoje andei assim... para alguns talvez um bocadinho exagerada para um simples dia de trabalho, mas gosto de me sentir gira em qualquer ocasião... primeiro dia de trabalho em grande!