quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Este ficou lá a chamar por mim...


E é muito mais giro ao vivo! E, modéstia à parte, também me fica melhor a mim ;)


Estes já cá cantam...

Hoje de manhã fui trabalhar para a sede da minha empresa... que é numa zona super movimentada da cidade e com muuuuitas lojas onde me desgraço facilmente... Hoje comprei apenas meias para os dias de Outono que se avizinham e estas luvas... giras giras :)
Eu sei que ainda não apetece, mas só havia um par desta cor e não lhes resisti!
(Na foto não se nota, mas o botão é do lado de dentro do pulso e o lacinho do lado de fora, se é que me faço entender :p )

Coisas que me surpreendem...

Alguém que veio dar ao meu blog andava à procura de...... homens desprezo 2011 :)
Esta surpreendeu-me!

As minhas motivações

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

E por falar em roupão

Lembrei-me deste... e em como gostaria de ter um assim... comprido, de seda e sexy :)


Coisas que eu não percebo...

Pessoas que chegam a casa e vestem logo o pijama. Na minha família, nunca tivemos o hábito de mudar de roupa quando chegamos a casa. Independentemente da roupa que tenha vestida é assim que fico até à hora de ir dormir, altura em que visto o pijama. Mas conheço muito boa gente que assim que chega a casa, seja a que horas for, a primeira coisa que faz é vestir o pijama...
Para mim, é algo que não faz muito sentido... pijama é para dormir. Na melhor das hipóteses, e pode acontecer uma ou duas vezes por ano, visto umas calças mais confortáveis e um top básico, daqueles que muita gente usa na rua e que custam 3,99 euros em qualquer Berska.
Lembro-me quando era mais nova, ver nas novelas as pessoas super sexys quando estavam em casa... tinham uma roupa gira, descontraída e eu sonhava em ser assim também... À medida que fui crescendo apercebi-me que não é difícil... é tudo uma questão de opção :) em vez de comprar um fato de treino, compro umas calças descontraídas... em vez de uns chinelos da avó... tenho uns que brilham no escuro... em vez do roupão verde com borbotos, tenho o meus às bolinhas...

Ok roupão às bolinhas pode não ser sexy mas é muuuuito giro ;)

Coisas que eu não percebo...

Ontem em conversa com uma amiga minha, ela falava do tipo de roupa que podia ou não levar para o trabalho e referia-se a um dia específico. Dizia ela:
- Estava super normal. Vestido preto pelo joelho, collants pretas daquelas em renda e sapatos roxos [até aqui tudo bem]... depois justificou... 
- Levava essas collants porque não tinha mais nenhumas no armário e era Inverno e no Inverno raramente faço a depilação... [e foi aqui que me caiu tudo!]. É que esta minha amiga é daquelas pessoas super giras, gordinha, mas sempre arranjada... nunca pensei que ela não fizesse a depilação no Inverno. E eu fiz cara de espanto e disse:
- Então e o teu namorado?
- Ah ele já me conhece e já não liga a isso.

Pois eu acho que há muitas raparigas a cair neste erro. Quando se tem uma relação mais estável vai de deixar fazer a depilação, deixar de se arranjar para uma simples ida ao café e estar em casa de qualquer maneira, só porque ele já conhece e aí já não precisa haver novidade.
A primeira vez que percebi que havia muitas raparigas a pensar como esta minha amiga, ainda era uma adolescente... estava a ver o Curto Circuito e a apresentadora era a Rita Andrade... o tema era depilação e lembro-me perfeitamente da quantidade de raparigas que dizia que se desleixava neste campo... lembro-me do meu choque e, ainda mais, do choque da apresentadora que estava incrédula com essa realidade até então desconhecida :p

Eu não sou nada assim. Não sou uma pessoa perfeita [bem que gostaria de ser!], não tenho um corpo perfeito, mas também não consigo ser desleixada. Namoro há quase 3 anos e nunca na vida era capaz de aparecer ao pé do meu namorado armada em ursinho de peluche... então e o encantamento? e a admiração? Então e o sentir-nos bem connosco próprias?!
Esta é uma realidade que me ultrapassa...

Post de m***a

Não é por nada, mas o segredo desta Nádia não me convence nada... parece-me demasiado inventado... ter de pensar quanto recebeu por sexo?! Humm I don't think so...

Um livro? A sério?! Sobre relações com pessoas conhecidas?!?! Really? E alguém vai comprar?! Os pais desta gente deve estar tão desiludidos...

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Estou apaixonada...



Gosto de todos... difícil é mesmo escolher :)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Um bocadinho de mim...

Isto é um bocadinho uma confissão... tenho um amigo que morreu há 6 anos e nunca tive coragem para apagar o número de telemóvel dele... continua cá apesar de saber que nunca o poderei utilizar.

Precisoooo

Sugestões de series... :)

As que gosto:

* Gossip Girl
* Sexo e a Cidade
* True Blood
* Diário de um Vampiro
* How I met your mother
* CSI qualquer um
* Sem rasto

Mas agora estas já não são suficientes e queria mais opções... please ajudem esta pobre alma sedenta de series giras :p

Constatação do dia...

Há pessoas muito pouco exigentes...

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Eu já sei que sou esquisita...

Anda tudo louco com a calças da primark a 11 euros, mas sinceramente... se aquilo já não fica bem na modelo, como vai ficar bem em qualquer corpinho comum?! E pela foto até me dá comichões porque nota-se logo que nem sequer é ganga... Really? Acham mesmo que compensa?!




quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Coisas que eu não percebo...

Não percebo a euforia à volta da Pippa Middleton. Ok que a miúda é gira e irmã da princesa, tem gosto para escolher as roupitas, mas só isto. Acho que tem uma beleza normal (não é feia mas também não é de uma beleza estonteante), veste-se normalmente e com roupas facilmente aquiridas pelo comum dos mortais. É uma miúda normal para a idade que tem. Não acho que tenha um estilo inconfundível nem uma irreverência descomunal.
Acho que é só isso. Uma miúda normal. Já a irmã é outra história... :)



Queroooooo


Um casaco igual ao da Kate, porque um príncipe já tenho ;)

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

É difícil agradar a todos...

Este ano foi o ano em que todos os meus amigos decidiram casar. Houve de tudo. Casamentos giros, com classe, bimbos, giros mas nada de especial... acho que cada casamento é sempre um bocadinho o reflexo dos noivos, que preparam tudo ao pormenor.
Também eu ando a preparar o meu. Todos os pormenores são pensados... tudo tem de passar por nós, nada fica ao cuidado de ninguém... não quero ementas oferecidas pela quinta, nem placards iguais a todos os outros, não quero DJ's para mais de 150 convidados... quero que tudo encaixe na perfeição.

Sou uma pessoa que sempre foi a muitos casamentos. Talvez por isso sei exactamente o que quero e o que gosto. Não quero organzas nem pedrinhas coloridas. Quero mesas quadradas e em vidro. Cadeiras em acrílico transparente e uma decoração que seja o reflexo daquilo que somos. Sei que é difícil agradar a todos e o que para muitos é elegência para outros é mania de ser diferente ou mania das grandezas (e muitas vezes nem fica mais caro... basta procurar).

No outro dia estava com uns amigos que casaram este ano. Realmente o espaço que escolheram era bastante agradável, mas só isso. A comida era mais do mesmo, a decoração pirosa que só ela, o vestido demasiado ousado para o meu gosto e o fotógrafo nada de novo...
No entanto, a noiva continua a achar que teve o casamento perfeito. Eu ia acenando com a cabeça e só dizia que realmente o espaço era muito giro. Não tive coragem de dizer mais nada. Primeiro porque, se calhar, para ela, aquele era o seu casamento de sonho. E depois porque acho que não vale a pena destruir um sonho para dizer que afinal o bacalhau não estava divinal e que os meus lombinhos ou bifinhos ou lá o que eram vinham crus, em sangue mesmo.
Com muita busca e "tempo perdido" tenho encontrado exactamente o que quero... a Quinta já está (acho que é desta!), o vestido já sei o género (agora é ir experimentar para ver como fica!), a decoração do exterior está praticamente pensada, o bolo escolhido (pelo menos o formato), o marcadores e ementas comprados, o placard ensaiado e os convites escolhidos. O padre também está decidido, na realidade serão três grandes amigos padres, a Igreja é a minha e a sua decoração está pensada.
Falta o bouquet, o fotógrafo e a animação. Ainda não encontrei nenhuma que me deixe sem respiração.

Sei que não vou conseguir agradar a todos nem controlar tudo e que alguma coisa irá falhar (é sempre um risco), mas por falta de programação não será :)

Inspiração para o outfit de hoje...

Coisas que eu não gosto...

Pesadelos. Esta noite tive um. Daqueles mesmo estúpidos e que me fez acordar com o coração a bater tão forte que pensei que me ia sair pela boca.
Estava na baixa, numa esplanada que não conheço, a almoçar com a minha melhor amiga e outras duas pessoas que também não reconheci. Entretanto como o meu almoço nunca mais chegava, decidi entrar no restaurante para apressar o empregado, uma vez que as três pessoas que estavam comigo já tinham acabado de almoçar. Entretanto voltei para a rua e não as vi, procurei, procurei, procurei e aquela esplanada não estava em lado nenhum... Como sou uma pessoa desorientada por natureza, achei que me tinha perdido e resolvi ir para casa e ligar ao meu namorado pelo caminho... não atendia. Nunca mais chegava a casa e quando cheguei [que no sonho era a minha casa mas na realidade aquele espaço é a casa dos meus avós] ele não me conhecia de lado nenhum. Nem ele nem ninguém do meu mundo. Era como se eu nunca tivesse existido na vida deles. Não imaginam o meu pânico a ver que as pessoas que mais gosto não me conheciam. É horrível este sentimento de perda.
Como todos os meus sonhos, este também não tem um sentido lógico, mas foi bastante assustador. O melhor dos pesadelos é mesmo acordar :)

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Ando louca com roupa da nova colecção

Estou deserta que chegue o frio e a chuva. Comprar botas, casacos, chapéus e gorros. Vestir collants e leggins. Golas e cachecóis. O meu chapéu de chuva fashion com folhinhos e a minha gabardine cinzenta. Já estou cansada do Verão, dos soutiens cai cai e dos vestidos esvoaçantes. Dos pés ao léu e das costas à mostra.


Coisas que adoroooooo

Queroooooo

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Hoje é isto.


Estou um bocadinho melancólica. Quase triste

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Coisas que ainda não sei se gosto...

Galochas. Acho uma certa graça nos pés dos outros mas depois nunca me imagino a ir para lado nenhum com umas. Há uns anos a Lanidor tinha umas brancas com rosas vermelhas... lindas lindas de morrer. Nunca as comprei e hoje arrependo-me... Essas sim eram práticas e fashion. Agora que as galochas se banalizaram não encontro nenhumas que goste... as todas lisas fazem-me sempre lembrar as vindimas... quando era pequenina e ia pisar as uvas para o lagar com o meu avô :D Com padrões não tenho encontrado nenhumas que me satisfaçam... mas não vou desistir facilmente :)

A Rita Pereira é gira que se farta e fica bem de qualquer maneira :)

Gosto destes...




quarta-feira, 14 de setembro de 2011

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Coisas que adoroooooo

Ler. Livros. Revistas. Jornais. Gosto muito de ler e, apesar de hoje em dia não ler tanto quanto gostaria, quando era mais nova (e consequentemente tinha mais tempo) lia livros de enfiada... uns atrás dos outros. Numa semana despachava dois ou três livros. Se me deixassem estar o dia todo a ler, era capaz de ficar horas descansadinha enfiada no meu quarto sem ninguém me chatear a aproveitar o prazer de ler um bom livro.
Ultimamente há poucos livros que me enchem a alma. Entretenho-me mais com revistas, é um facto. Adoro o prazer de folhear uma boa revista.... às vezes não acabo de as ler e vou acumulando revistas em cima de revistas na minha secretária... neste momento até o sofá do meu quarto está cheio delas... guardo-as sempre para depois recortar o que gosto mais... seja um look, um sítio para conhecer ou um artigo interessante.
No últimos tempos as minhas prioridades e preocupações têm sido outras... pelo que isto é o que tenho comprado mais :)
Já comprei todas as que havia na papelaria da minha rua mas apetece-me mais... alguem tem mais alguma sugestão?! :)

Coisas que me surpreendem...

E não posso deixar de sorrir :)

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Coisas que eu não percebo...

No outro dia estava numa festa e vi uma rapariga de cai cai (verde) e alças de soutien (brancas) por baixo (já sabem o que penso sobre isto!). Qual não é o meu espanto quando me aproximo e vejo que o soutien é daqueles que dão para tirar as alças... Agora pergunto-me: esqueceu-se de as tirar? Achou que ia melhor assim? Viu-se ao espelho e pensou Assim é que eu vou mesmo bem? Expliquem-me, por favor, por isto vai muito além da minha compreensão.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

O meu lema de vida...

Inspiração para o outfit de hoje...

Hoje estou assim.
Ultimamente ando louca com rendas e tenho usado e abusado desta tendência tão feminina.

Constatação do dia...

Sou muita convencida, não sou? :)

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Há alturas em que é mais forte que eu...

Sou demasiado crítica. Não consigo evitar. Confesso que tenho uma lista infindável de blogs que sigo e leio diariamente. Gosto especialmente quando colocam fotos com os seus looks, mas raramente me sinto satisfeita com o resultado. Há excepção de, no máximo umas 5 blogueres, que gosto de ver, a maioria é mais do mesmo. Roupas básicas, mal conjugadas, mas com a mania que são fashion só porque parecem um catálogo de determinada marca.
A roupa até pode ser muito gira, mas falta estilo, personalidade, charme... e isso minhas queridas não se compra. Mas aprende-se. Basta tentar ser original.

terça-feira, 6 de setembro de 2011

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Sinto que a vida regressa à normalidade quando...

* Fui a um casamento e diverti-me bastante
* Tive vontade de ir às compras

Estes foram os meninos que vieram comigo para casa

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

E por hoje é só.

Obrigada a todas pelo carinho nestes dias difíceis.

Mas que Deus é este em que eu acredito?!

Há dias em conversa com o meu amigo padre, perguntava-lhe isto mesmo... mas que raio de Deus é este em que eu acredito?!
Explicava-lhe que nunca tivera grandes questões que me afastassem da Igreja Católica e mesmo nas questões com as quais não concordo, acho que são coisas terrenas e que em nada entram em conflito com aquilo em que acredito. Sempre andei na catequese e participei no dia a dia da minha paróquia.No entanto, há 6 anos, essa realidade mudou. Uma grande amigo foi brutalmente assassinado e morreu. A última vez que nos vimos foi numa tremenda coincidência (às vezes pergunto-me se terá sido a maneira que Deus arranjou para me despedir dele) e combinámos um café na semana seguinte para falarmos com calma. Esse café nunca chegou a acontecer. Com a Sua morte, a minha distância de Deus foi inevitável... para mim, o Deus em que acreditava não deixaria um filho Seu morrer assim... Na altura, procurei respostas mas não as encontrei. Deus leva os bons para junto d'Ele, São os desígnios de Deus ou Deus sabe o que faz são respostas que não me satisfazem.
Durante esse ano afastei-me um pouco de Deus, sem me afastar da Igreja... continuei a dar catequese e em todas as outras actividades da minha paróquia... no fundo, eu sentia a necessidade de continuar ali. Nunca deixei de acreditar em Deus, estava apenas revoltada com Ele. Queria afastá-Lo mas sentia-O presente na minha vida. Não tenho outra forma de explicar isto, porque de facto era mesmo uma luta que eu tinha comigo e com Deus.
Sempre tive Deus como O Melhor Amigo, Aquele que está sempre lá, que tudo pode, "A Deus nada é impossível" e, para mim, este Deus tinha-me falhado.
E não compreendia as pessoas que, com a morte de alguém próximo, se aproximam da Igreja. Eu sentia como se um amigo me tivesse traído.
Passado um ano, senti uma grande necessidade de me reaproximar de Deus e todos os dias ia à missa... refugiava-me um bocadinho ali.
Acho que consegui alguma coisa, mas não foi o suficiente. Passados estes anos, comecei a sentir-me mais próxima, mas este era um trabalho ainda incompleto e que eu não sabia muito bem como o continuar...
O meu amigo padre está de férias. Estava a ajudar-me nesta aproximação e estava a dar frutos. Dizia-me ele para ser forte, que  também imagina um Deus que cobre a face com as grandes mãos para chorar quando isso acontece... Que a nós cabe-nos trabalhar e viver para que isso nunca aconteça...
Amigo Padre (aqui não te posso tratar pelo nome!) sei que agora que a minha relação com Deus estava novamente no bom caminho, veio mais uma provação... Não sei se me conseguirás ajudar desta vez. Mas sei que vais tentar. És dos poucos que me restam... Não desistas. Eu prometo que vou tentar.


A vida tem que continuar...

Esta é, infelizmente, uma dor que eu já conheço bem. Não conheço a dor de perder um familiar ou um amor, mas a dor de perder um amigo já se começa a tornar demasiado habitual na minha vida. Habitual mas à qual eu não me habituo. Nos últimos 5 anos (quase 6) perdi 3. Acidente. Doença. Assassinato. Este foi o quarto e ainda não se sabe a causa de morte. Veio tudo com grande secretismo da Guiné. Eu sei que a vida tem de continuar. Não posso continuar fechada em casa, revoltada com este mundo e com o outro. Amanhã é dia de voltar ao trabalho. Sábado é dia de casamento e no domingo sei que já me sentirei melhor. Fico sempre a sentir-me culpada quando esboço o primeiro sorriso após a morte de alguém que me é querido.
Sei que mais uma vez vou aprender a conviver com esta dor, com estas saudades, que me vou esquecer da sua voz tão característica (custa-me tanto não me lembrar das suas vozes). Sei que daqui a uns meses já conseguirei sorrir quando se falar dele, que relembrarei os seus disparates com um sorriso cheio de lágrimas e me sentirei confortada / abençoada por saber que um dia a minha vida se cruzou com a dele(s).

A vida tem que continuar...

Não me apetece comer. Não me apetece dormir. Não me apetece chorar. Não me apetece rir. Não me apetece sair. Não me apetece estar em casa. Não me apetece sentir sequer. A única coisa que me apetecia era estar contigo. Horas e horas a fio. Como nos (não assim tão) velhos tempos, que nunca mais se voltarão a repetir.